Paris - parte 1





Ah que delícia falar sobre essa cidade. Indescritível! É tudo lindo, tudo romântico, tudo gostoso, o idioma apaixonante, as roupas bacanas...até do cigarro eu gostei (não fumei e nem fumo).

A minha (primeira) ida até lá foi apenas por 4 dias. É uma cidade que tem muita coisa pra fazer e é impossível fazer tudo em 4 ou 5 dias. Eu indicaria uma estadia de 15 dias, no mínimo. Enfim, qualquer tempo que você passe por lá, nem que seja 1 dia de escala valerá a pena. Você vai voltar para casa diferente.

O meu hotel ficava num bairro popular da cidade (La Villete) ele não era muito perto ali do centro mas o sistema metroviário é sensacional. Facílimo de entender e usar, além de chegar em todos os cantos possíveis de Paris (menos  até o Palácio de Versalhes).

Ande bastante, nada melhor que do que conhecer e sentir a cidade andando. Identifique os pontos principais num mapa e trace sua rota. Eu passei por muitos lugares chave tais como a Torre Eifel (filas grandes mais é parada e subida obrigatória), o Museu do Louvre (imenso e com um acervo incrível incluindo a pequena Mona Lisa), o Arco do Triunfo (prepare-se para subir uns 300 e poucos degraus), a des Champs-Élysées (rua chiquérrima, não se assuste, olhe as vitrines e  entre nas lojas, tem coisa acessível), o Centro Georges Pompidou (é um centro de convenções com uma arquitetura super diferente, sentar num café ali perto é o máximo), a Catedral de Notre-Dame (linda, linda e linda), as ruinas de Lutécia, o Montmartre (é o bairro da boemia cheio de bares e pubs. Lá também estão o Molin Rouge - as reservas são antecipadas e super caro) e a Basílica de Sacré-Coeur que tem umas das melhores vistas (infelizmente não deu tempo pra mim), a Saint Chapelle (uma das poucas contruções dos reis), as Galerias Lafaiete (famosíssimas e com as lojas e vitrines animadas mais tops do mundo), a Ópera de Paris, sem falar nas trocentas praças com a de La Concord, Place Vendôme, Republic, de La Bastille e a de La Resistance.

Um sou completamente demente e não podia deixar de ir na Eurodisney que fica ali próxima a Paris. Você pega um trem específico e desce na última parada (não tem erro). São 2 parques um do lado do outro e com seu ticket te dá acesso aos dois no mesmo dia. Não se compara com o complexo de Orlando, mas tem umas atrações exclusivas e outras iguais às da própria Disney World. O que mais me marcou foi o show final no parque principal ali em frente ao Castelo da Cinderela...além das músicas, luzes e fogos, eles fizeram uma “chuvinha” de alguns minutos de neve. Eu ameeeiii!

Eu sugiro a visitação de todos os principais pontos: Louvre, Torre Eifel e Arco do Triunfo de dia e de noite. As subidas todas são pagas então suba de dia em um, e anoite no outro. A vista panorâmica da “cidade luz” é super famosa e realmente faz jus ao sucesso. Você pode comprar um daqueles cartões (vendidos na bilheteria dos principais pontos turísticos) que te dão acesso a vários pontos por dias determinados, vale a pena. Não me lembro o valor, mas compramos um que valia por 2 dias.

Noitada: eu sai dois dias apenas, fomos no Favela Chic (tem um também em Londres)...tecnicamente brasileiro mas só tem francês e apenas no fim da noite achamos um ser humano que falava português (o dono). Pessoas bonitas, decoração sensacional, 10 euros pra entrar, bebida boa pra caramba e musica melhor ainda (vá de metro descendo na estação Republic). Do nada rolava um funk e um sambão tipo escola de samba e o povo ia ao delírio....confesso que chamamos muita atenção sambando...hehehehehehe. A gente se jogooouuu...foi o máximo!!! Nesse lugar acho que não tinha essa conversa de ser barrado. A única coisa ruim é que no fim, foi bem difícil conseguir um táxi pra ir embora, na ida fomos de metrô. Na outra noite fomos num lugar que não vou conseguir lembrar o nome, mas era uma noite brasileira também, quem nos levou foi o recepcionista do hotel e fomos batidas da Eurodisney (imaginem o estado), tomamos umas tequilas imaginárias e fomos! Valeu muuuito a pena, fiz uma amizade incrível que dura até hoje e nos jogamos na caipirinha à la Brasil (com vodca).

Conheci um brasileiro que mora lá e ele disse que é tensa mesmo essa questão de ser barrado na porta. As roupas contam demais, tipo mulher sem salto não precisa nem entrar na fila. Mas as baladas são tops...acho que valerá a pena insistir para curtir. Se arrume bastante afinal de contas você está em PARIS!


Consulte as informações sobre o serviço de transporte executivo que liga os aeroportos à cidade por um preço bacana.

Em suma: gaste, coma, ande, visite, se jogue e depois volte à sua rotina completamente mudado!!!

Veja aqui meu segundo relato sobre minha segunda vez na Cidade Luz. 

Leia o relato do post Paris - parte 2.

Paris - França   Viagem: 2009 (novembro), 2014 (maio).


´Assista: Meia noite em Paris, Um dia, O Turista, A identidade Bourne, Busca Implacável, Amour, Meia noite em Paris, O fabuloso destino de Amélie Poulain, Piaf um hino ao amor, Alguém tem que ceder, Coco antes de Channel, O Diabo veste Prada, O corcunda de Notre Dame, Intocáveis, Maria Antonieta, A invenção de Hugo Cabret, Ratatouille, Antes do por do sol, Paris eu te amo, Lola, Molin Rouge, O código da Vinci, Último tango em Paris. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia