Londres, na Ingleterra




Eu me surpreendi bastante com Londres, achei que fosse encontrar um clima meio down por suas ruas mas, pelo contrário, adorei as pessoas, comidas e atmosfera dos lugares. Claro que são todos muito respeitosos e sabem bem aonde devem ir na relação com o próximo, mas são pessoas bastante simpáticas e que adoram um happy hour e respeitar a faixa de ultrapassagem as escadas rolantes do metrô. 

Me hospedei em um apartamento (Union Apartments) que ficava muito pertinho da London Bridge, no bairro de Borough. Adorei o apê e super indico principalmente se você for com umas cinco pessoas (no mínimo), com certeza foi a melhor hospedagem da viagem. 

A dica não foge do convencional: priorizar as caminhadas pela cidade, mas é importante usar o metrô (chamado de Underground ou The Tube) que é o mais antigos do mundo, de 1863, e também dar um giro por algum dos ônibus double-deck tão típicos daquela cidade. 

Minha primeira vez em Londres foi curta, de apenas dois dias mas deu para fazer bastante coisa legal. Compre um guia/mapa na primeira lojinha de souvernir que passar e siga as marcações dos principais locais para se visitar, é tudo muito bem dividido e ilustrado. 

Uma coisa que eu não ia deixar de fazer era ir até a Abbey Road, lá está a famosa faixa de pedestres do álbum dos Beatles. Bem em frente fica o estúdio onde foram feitas as gravações e também funciona um museu dos Beatles gratuito. Pegue o metrô e desça na estação St John's Wood (Jubilee line) - apenas tome cuidado para não ir parar em outra região que também tem esse nome. Na estação tem uma lojinha/café fofa com produtos da banda, não deixe de ver. É um programa bem de fã, não tem muita graça. A rua é bem movimentada e tirar uma foto na faixa de pedestres sem sair morto é uma baita aventura. Eu curti. 

London Bridge além de constante cenário de filmes, é linda de morrer, principalmente no pôr do sol sob o Rio Tâmisa. Parada mega obrigatória, sem dúvidas porque ela é uma das pontes mais famosas do mundo. Ela fica super perto de uma áreas que tem diversos prédios comerciais mega futurísticos, e dá aquela mistura do clássico da ponte com a pós modernidade dos arranha-céus espelhados e em formatos inovadores.

Se não me engano todos os museus de Londres são gratuitos, então não perca essa oportunidade. O mais sensacional com certeza é o Museu Britânico (British Museum). Lá está a Pedra de Roseta (graças a ela foi possível decodificar as escritas egípcias) e partes originais do Parternon da Grécia. Não deixe de prestar atenção no hall de entrada do museu  que tem o teto trabalhado, é de tirar o fôlego. E prepare-se para andar muito porque ele é simplesmente imenso.

Ali na região da do Palácio de Westminster, local onde está o relógio gigante Big Ben, está a Abadia de Westminster (local de coroação da monarquia e onde foi realizado o casório da Kate & William), e a praça Parliment Square onde tem algumas estátuas de pessoas muito importantes como o querido Nelson Mandela.

Ali pertinho fica o Palácio de Buckingham, casa da rainha Elisabeth. Na grande boulevard (The Mall) que leva até a entrada do palácio corre todos os dias às 11h a troca da guarda do palácio. Eles vão marchando desde a rua principal até o interior do palácio sob os olhares de trocentas mil pessoas. É bom chegar cedo se quiser ver todos os detalhes possíveis para pegar um local adequado. Do ladinho ainda é possível curtir o St. James Park Lake, vi uma galera tomando sol numas cadeiras de praia que ficam lá à disposição de qualquer um. E do outro lado está o Green Park, esse é bem maior e tinha muita gente praticando esporte, além de fazer jus ao nome e ser praticamente uma coleção de plantas totalmente verdes.

Dando mais uma caminhadinha chegamos à Tralfagar Square, palco de muitas comemorações da cidade e um local bem bonito. De lá siga para a Piccadilly Circus, a Times Square londrina. Não preciso explicar muita coisa, resumindo é muita gente, muitos letreiros luminosos e propaganda, talvez a praça mais famosa da cidade. Ao seu redor tem bastante loja e opções de restaurantes. Não deixe de reparar na fonte com Eros que está no centro da praça.

Se quiser ir na loja famosa Harrods, vá do Palácio de Buckingham que fica meio perto. Nós inventamos de ir da Piccadilly Circus e andamos muito, mas muito mesmo (o bom é que podemos passar pelo Hyde Park).  Essa loja é uma loucura, acho que a maior que eu já fui na minha vida (é a maior de Londres). Tem incontáveis departamentos com todas as marcas da humanidade. Impossível não se perder. É a loja da família do Dodi Al-Fayed, inclusive existe uma singela homenagem ao rapaz e sua amada Lady Di, basta entrar e ir perguntando para as pessoas como achar o memorial (é mais fácil ir para Roma, viu).

Acho que Londres e Paris estão num páreo duro para ser a cidade com mais atrações turísticas.

Seguindo a visita, não exite em dar "um giro" na London Eye, a roda gigante que fica no Rio Tâmisa (que foi totalmente despoluido). Não demora muita coisa, e a vista lá de cima é extremamente espetacular. Se a fila tiver muito grande (de manhã geralmente está), volte no fim da tarde.

Amei...voltaria mais incontáveis vezes. Não esqueça o guarda-chuva!

Londres - Inglaterra    Viagem: 2014 (maio)


´Assista: Harry Poter e as relíquias da morte, O retorno da Múmia, Closer, Matchpoint, O sonho de Cassandra, 4 casamentos e 1 funeral, A dama de ferro, O quarteto fantástico e o surfista prateado, Um dia, O diário de Bridget Jones, Cassino Royale, Diana, O discurso do Rei, As crônicas de Nárnia, Velozes e Furiosos 6, Gravidade, Johnny English, Lara Croft: Tomb Rider, Os miseráveis, No limite do amanhã, A rainha, Sherlock Holmes, V de vingaça, Guerra Z Mundial, X-men: primeira classe, Um lugar chamado Nothing Hill, Sweeney Todd, Orgulho e preconceito, Amor e inocência, Simplesmente amor. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia